Poesia Portuguesa / Vasco Mousinho de Quevedo

SONETO XXX de Vasco Mousinho de Quevedo

SONETO XXX

Quando às vezes a mi, por mi pergunto,
Quem fui responde que me não conhece
Com não ser, de quem sou me desconhece,
E tem-me por defunto, o já defunto.

Ele chora-me a mi, por ele ajunto
Com ele minhas lágrimas, e crece
Ua com outra dor, pois se oferece
Chorar quem já fui, e quem sou, junto.

Choro porque o não vejo qual o via,
Ele porque me vê, qual me vê chora,
De mim, e dele, só lágrimas há.

Espero por um dia, cada dia,
Que ou acabe de ser quem sou agora,
Ou acabe o lembrar-me quem fui já.

Anúncios

One thought on “SONETO XXX de Vasco Mousinho de Quevedo

  1. Pingback: Histórias de vida, psicologia e literatura | Psicologia Saúde & Comunidade

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s