Rui Tinoco - Poesia

Compreende, perguntara-lhe ele, que se possa fazer guerra ao que se ama?”*

– Percebe

que faço guerra

ao que mais amo?

 

E no seu rosto vi

que se matava

a si próprio.

 

– Não compreendo,

mas é essa a armadilha.

RT, 1999

* In Porto Sudão de Olivier Rolin

Anúncios

2 thoughts on “Compreende, perguntara-lhe ele, que se possa fazer guerra ao que se ama?”*

  1. Gosto. Revisitando os clássicos porque há um certo tom do desconcerto.
    “Comigo me desavim,
    Sou posto em todo perigo;
    Não posso viver comigo
    Nem posso fugir de mim.”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s