Poesia Portuguesa

Não tragais borzeguis pretos: uma folia

Não tragais borzeguis pretos

que na corte são defesos

ora com borzeguis pretos.

Não tragais o que defeso

porque quem trae o vedado

anda sempre aventurado

a ser vexado e preso

verenvos andar aceso

ora en cuydados secretos

ora con borzeguis pretos.

Não tragais…

Não tragais o que defeso

porque quem trae o vedado

anda sempre aventurado

a ser vexado e preso

creyobos andar aceso

ora em cuydados secretos

ora com borzeguis pretos

Não tragais…

e se saber a razão

deste meu trago quereis

a cor que trago nos pes

me deu do coração

porque o meus cuydados

acesos e mais secretos

era má ventura pretos.

FOLIA, es una cierta dança Portuguesa, de mucho ruido; porque resulta de ir muchas figuras a pie con sonajas y otros instrumentos, llevan unos ganapanes disfraçados sobre sus ombros unos muchachos vestidos de donzellas, que con las mangas de punta van haziendo tornos, y a vezes bailan. Y tambien tañen sus sonajas: y es tan grande el ruido, y el son tan apressurado, que parecen estar los unos y los otros fuera de juizio: y assi le dieron a la dança el nombre de folia de la palabra Toscana, Folle, que vale vano, loco, sin seso, que tiene la cabeça vana.”

do site do Coro de Câmara de Campinas.

Anúncios

2 thoughts on “Não tragais borzeguis pretos: uma folia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s