Poesia do Mundo / Richard Harrison

Paraíso de Richard Harrison*

Quando o meu pai se apercebeu

que poderia morrer se não reagisse,

e ainda assim poderia morrer,

o sangue a coagular-se no estômago

tal cera vermelha a encher numa xícara gélida,

foi então tomar banho.

Enquanto a ambulância o

serenava das ruas,

despiu-se e foi tomar banho,

o meu pai só e nu

na água, pronto para o seu paraíso.

* Poema de Richard Harrison, poeta canadiano, traduzido por paulo costa e vindo a lume na Di Versos – Poesia e tradução nº16.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s