Poesia do Mundo

Uma cigarra – poema de Li Shang-Yin

De coração puro e sedento,

Toda a noite em vão cantaste –

A última nota exalada,

Entre árvores verdes, indiferentes.

Arrastado como um destroço

Deixei que as ervas ocupassem o jardim.

A ti, cantora, agradeço o conselho

De uma vida pobre e honesta.

Li Shang-Yin, Chuva na Primavera e outros Poemas. Lisboa, 2001, Assírio e Alvim.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s