Rui Tinoco - Poesia

No cerco de Siracusa 214-212 a.C.

o soldado de Marcelo, durante

a tomada de Siracusa, não

quis aguardar por aquele velho

que tinha sido chamado à

presença do grande militar

romano. impaciente, cravou-lhe

a espada no ventre. quem

era o vencido que ousava

fazê-lo esperar? que arrogância

era aquela? Arquimedes

morre, esvaído em sangue.

o soldado ignora que toda

a humanidade recordará por milénios

o seu vil acto, apesar de não

não saber o seu nome.

RT, 2012

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s