Maurice Carême / Poesia do Mundo

O Pássaro de Maurice Carême

Quando ele apanhou o pássaro

cortou-lhe as asas.

O pássaro voou mais alto.

.

Quando voltou a apanhar o pássaro

cortou-lhe as patas.

O pássaro deslizou como uma barca.

Furioso, cortou-lhe o bico.

O pássaro cantou com o seu coração,

como canta uma harpa.

.

Então cortou-lhe o pescoço.

E de cada gota de sangue

Saiu um pássaro mais brilhante.

(Maurice Carême, poeta belga numa trad. de António Ramos Rosa para a revista DiVersos, 10)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s