Rui Tinoco - Poesia / Sherwood Anderson

Variações sobre capítulo As Mãos do livro Cidade de Estranhos de Sherwood Anderson

Variações com imagens e excertos de frases do capítulo As Mãos do livro Cidade de Estranhos de Sherwood Anderson. Pode saber um pouco mais sobre esta obra e este escritor no blogue Sobre o Risco de Manuel Poppe. Aqui

+

as mãos abriram-se para

o começo do texto – as coisas

que se erguem. não perguntem

pela história dessas mãos: elas

são a razão de ser de todo este

texto. cerrava os punhos

como que a interromper a história.

mas não: Wing Biddbaum

punha as mãos nos bolsos e então

os olhos marejavam-se de lágrimas.

sabíamos existir coisas para

contar. sentíamos o desejo de o interrogar

acerca dessas mãos. não o faremos.

Biddbaum estava inspirado, esqueceu-se

das mãos. parecia viver numa outra

história. importa sobretudo não querer

conhecer os gestos dessas mâos:

elas batiam como asas de um pássaro

preso. tirou as mãos

dos bolsos. ergueu as mãos para o

rapaz: um desencontro de desejos.

é urgente ocultar as mãos. o castigo

dos outros personagens é somente

artifício literário. um artifício

que dói, faz sofrer. os outros personagens

existem: as suas mãos punem

e fazem sofrer. oculta as mãos

esconde todas as mãos: como se

fossem pássaros presos.

Wing Biddbaum como uma ave

de asas arrancadas.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s