Rui Tinoco - Poesia

o passado sopra friamente

o passado sopra friamente

como se não fizesse parte

da memória

como se estas folhas, vermelhas,

estivessem a cair pela primeira

vez. é outono. as mãos

recolhem-se entre as letras

anichando-se

ou então surpreendendo, em

imprevistos poemas.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s