Rui Tinoco - Poesia

uma flor que se chama

uma flor que se chama

vento desalinha-te os cabelos.

como uma nuvem lentamente

observando tudo.

nunca me pareci tanto

com jamais: poiso

a dúvida em cima da mesa

avanço

como um lavrador –

a certeza das sementes.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s