Poesia Portuguesa / Vírgílio Alberto Vieira

Venho de Elêusis a inefável – Vírgílio Alberto Vieira

Venho de Elêusis a inefável

Onde o arco de Hélios

Me revelou em sonho o rosto de Perséfone

No telestérion

Essa presença esquiva espero agora

Sem cessar Sou jovem

A beleza persigo na terra com ardor

Das coisas feitas apenas sei

O que a um deus

Presságio algum proíbe

Das coisas ditas o que a ouro debruam

As paisagens

Enquanto Perséfone escrutina

O trevo e a morte

(Virgílio Alberto Vieira In A Imposição das Mãos, Porto, Campo das Letras, 1999).

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s