Cláudio Lima

Desterrado, o de Soares dos Reis – Cláudio Lima

Quebrado e mudo, a pátria vigilante

no fundo dos olhos apagados;

grito proibido que morreu distante,

eco suspenso de infaustos fados.

.

Uma coroa acerada, a nostalgia,

– sede da pátria por beber –

dedos consumidos a dobar o dia

e nítido o retrato da mulher.

.

Assim o sonhador te viu

imerso na solidão mais desumana

na vez primeira em que estremeceu

a alma da pedra lusitana.

*

Elogio – Elegias, Cláudio Lima, Fafe, Labirinto

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s