Andréas Embiríkos

As Setas – de Andréas Embeiríkos

Uma jovem num jardim

Duas mulheres num vaso

Três moças em meu coração

Sem horas nem limites.

Uma palma na vidraça

Uma palma sobre o peito

Um botão fora de casa

Um seio que se desvela

Enquanto o arqueiro com as setas

Brilha alto no céu

Sem horas nem limites.

*

Poema de Andréas Embeiríkos, traduzido por José Paulo Setas (1909-1976)

In Rosa do Mundo – 2001 Poemas para o Futuro, 2001, Assírio e Alvim, Lisboa

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s