Manuel Freitas

Lagoa do Canário (2) – Manuel Freitas

para a Lorena Correia Botelho

O importante era mesmo

isso: não ver nada.

.

Acreditar na água;

saber quelela estava ali,

límpida, intensa, viva.

.

Por pouco tempo, como nós.

.

Manuel Freitas, Resumo, a poesia em 2013, Lisboa, FNAC

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s