Tobias Burghardt

Testamento de um taxista – Tobias Burghardt

Por pouco quase nasci no banco de um táxi,

num canto em frente

ao Atlântico, sem líquido refrigerador

nem marulho, quando um vento de Novembro

toca os lábios murchos e dança

ao compasso do tango, com qualquer folha de jornal,

de viagem para um outro quarteirão da infância

Cada lugar pode ser a primeira partida,

mesmo a última chegada. E o momento

nem sequer apaga as marcas, as folhas.

*

In Rio Abaixo, Rio Acima

Tobias Burghardt

Edições Sempre em Pé, Águas Santas, 2007

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s