Eduardo Leal

no tempo em que os meus olhos – Eduardo Leal

no tempo em que os meus olhos

eram grandes para o mundo

havia apenas pressa

uma pressa imensa de mergulho

a fundo

nas coisas     nas línguas    nas ideias

.

no tempo em que o universo

ainda quase não tinha nascido

e eu era curioso

mergulhava indómito e perplexo

no antes         na gente                  na luz

.

procurávamos somente

o tempo perdido antes do salto

.

nesse tempo

nem eu nem o mundo

sabíamos ainda o que fazer da dúvida

e a dúvida

agora que os olhos são pequenos

sabemos finalmente

queima ainda

nas mãos                nos olhos         no horizonte

.

Eduardo Leal

Em Nem Só de Gin Vive o Pinguim, 11, 19 maio de 2014

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s