Rui Tinoco - Poesia

sou como uma pálpebra que se fecha – Rui Tinoco

sou como uma pálpebra que se fecha,

como um sonho que não deixou

de sonhar. não sei que gestos irei vestir

de manhã, quando as pestanas,

as ténues sombras que desenham no rosto,

disserem que já é dia:

escuro, luz;

sim, não;

ausência, presença.

as aparências de imobilidade em que hoje dormi.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s