Victor Oliveira Mateus

1. poema de Victor Oliveira Mateus

1.

 

Sobre esta terra me deito e digo sol

Digo-o na teimosia branda do casario, onde à noite as mulheres,

todas de esperança vestidas, enfeitam de pequenos búzios

a terrível margem do silêncio

 

Ah, ninguém já ousa semelhante Viagem!

Ou sequer um frágil aceno, como quem convoca, no rendilhado

das areias, a beleza de uma miragem; espécie de visão fulgurante

onde uma porta auspiciosa se firma

 

Sobre esta terra me deito e digo sol

Digo-o com o feliz desalento que sempre trago, com o desapego

de duas mãos na fértil aridez do Deserto

 

 

poema 1 do Pelo deserto as minhas mãos

Victor Oliveira Mateus

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s