Jane Hirshfield

Fado, de Jane Hirshfield

Um homem aproxima-se

e da orelha de uma rapariga

tira vinte cêntimos

e uma pomba das mãos

que ela não sabia que lá estava.

O que é mais surpreendente,

pode perguntar-se:

o murmúrio denteado da moeda

de encontro ao polegar

ou o silêncio da pomba tocado pelo nós dos dedos?

Que ele os tenha descoberto

ou que ela não

ou que em Portugal,

neste preciso momento de breve pausa,

seja quase madrugada

e uma mulher numa cadeira de rodas

cante um fado

que coloca as vidas dos que estão na sala

num prato de uma balança,

a si no outro, e os dois pratos em cobre se equilibrem.

*

In: a mulher do casaco vermelho de Jane Hirshfield

trad. de Francisco José Craveiro de Carvalho

colecção Poetas de Eufeme

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s