Mariana Ianelli

Anjos de Deus, de Mariana Ianelli

Anjos de Deus, de Mariana Ianelli

DiVersos Poesia e Tradução, nº 25

 

Os que vingaram

mas delicados

perderão sempre,

esses que servem

de isca, de alvo

de holocausto

tão facilmente

e sozinhos brincam

em seus pátios internos

com infantes

de outros reinos,

os ditos frágeis

que se traem

pela própria natureza,

esses massacráveis

de olhos doces

ossos de gaveto

que tremem

que choram

para deboche dos fortes

mal aguentando

sobre um fio ténue,

esses moldados

em mansidão moldados com desvelo

dignos de pena

em patas de cervo

asas de garça,

anjos de Deus.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s