Kostís Palamás

A minha mágoa suprema, de Kostís Palamás

A minha mágoa suprema, de Kostís Palamás

DiVersos Poesia e Tradução, nº 25

 

Na hora extrema em que apagará a minha luz

a pouco e pouco a morte, para mim uma será

a minha mágoa suprema.

 

Não serão os ocos pensamentos,, os perdidos anos

da pobreza os cuidados, do amor o desejo inextinguível,

uma sede no meu sangue, maldição ancestral,

nem a minha vida vazia pelo íman arrastada

sempre da Musa, nem tu, minha casa estremecida.

 

A minha mágoa suprema

será  não ter podido contigo viver, ó criação,

verde no cimo das serras, nos mares, nos bosques

será não ter gozado debruçado sobre os livros,

ó natureza, toda a vida, e toda sapiência!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s