Jane Hirshfield

Árvore, de Jane Hirshfield

É um disparate

deixar uma pequena sequóia

crescer perto de uma casa.

 

Mesmo nesta

única vida,

ter-se-á de escolher.

 

Aquele ser calmo e enorme

esta confusão de panelas e livros –

 

As primeiras pontas de ramos já roçam na janela.

Suave, calmamente, a imensidão bate levemente à tua vida.

*

In: a mulher do casaco vermelho de Jane Hirshfield

trad. de Francisco José Craveiro de Carvalho

colecção Poetas de Eufeme

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s