Rui Tinoco - Poesia

não há grande amigo

não há grande amigo

sem traição por trás

o sabor agridoce do adolescer

que terás de perdoar. não

querias que assim fosse, bem

sei: a infância, o branco,

o calor do verão, os olhos

verdes femininos e o que prometiam.

claro o calor, o rosto descansado

sobre o ventre ondulado:

nunca estiveste tão longe

da infância.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s